Domingo, 18 de Fevereiro de 2018
   
Fonte +/-
 
Facebook Whatsapp
67.9292.7095

Busca no site

Condenação de vereador chega na Câmara, mas presidente ainda não teve acesso

Informação sobre condenação do vereador Lucas de Lima (SD) foi entregue na manhã desta terça-feira (16) pelo suplente do parlamentar, o ex-vereador Eduardo Cury (SD), mas o presidente da Câmara Municipal, João Rocha (PSDB) ainda não teve acesso. 
alt

Rocha já havia informado, ontem, ao Portal Correio do Estado, que não vai se pronunciar precipitadamente e vai aguardar o processo tramitar no Ministério Público Eleitoral (MPE). “Vou falar com o procurador da Câmara e talvez vamos encaminhar o caso para comissões”, disse. 

O documento, com extrato do processo da Justiça Federal certificando de vez o trânsito em julgado da ação de Lucas de Lima, foi protocolado às 9h45 de hoje. 

De acordo com Rocha, o processo vai tramitar normalmente dentro do Legislativo e será enviado aos setores competentes. "Após montado o processo, ele será encaminhado a Procuradoria da Casa para análise. Após parecer da Procuradoria veremos o que será feito. Lembrando que estamos de recesso e a Casa não delibera nada nesse momento", explicou o presidente.

ENTENDA

De olho na vaga, Cury já entrou com ação no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) solicitando o afastamento de Lucas de Lima. Em resposta ao pedido dele, a Justiça Eleitoral emitiu a nota. “Chegando a informação da perda dos direitos políticos ao Presidente da Câmara dos Vereadores (art. 15, III, da CF), o que deve o mesmo fazer é declarar vago o cargo e convocar o suplente (art. 8º, I, do DL 201/67) já que não se aplica ao parlamentar municipal a imunidade processual “, diz o comunicado.

Agora está nas mãos de Rocha o futuro político do vereador. Lima foi condenado em segundo grau por apropriação indébita. E agora ele está sendo acusado de falsidade ideológica por ter omitido, no registro de candidatura, sua condenação em primeira instância. 

Na tarde desta segunda-feira (15), a Justiça Eleitoral encaminhou ofício comunicando que Lima cometeu crime ao não informar no registro de sua candidatura a condenação de fevereiro de 2016. Diante disso, o caso agora está nas mãos do Ministério Público Eleitoral para ser investigado. 

De acordo com o advogado de Cury, Arthur Vasconcelos, não cabe a Justiça Eleitoral fazer o pedido de suspensão do cargo, pois ainda não foi oficialmente comunicado a condenação criminal pela Justiça Federal. “Por isso que qualquer interessado poderá fazer o pedido”, disse. No caso, o suplente foi quem se interessou em requerer essa suspensão.  

Ainda segundo advogado, pesa contra Lima o caso de ele não ser mais réu primário. Isto é, além do caso de apropriação indébita, ele sabia que não poderia disputar o cargo por ter condenação e isso caracterizou outro crime.

OUTRO LADO

Apesar de reconhecer a infração, Lucas alega não ter cometido dolo, ou intenção de cometer o crime. “Estou sofrendo com isso. É algo que tem me dado muita dor de cabeça”, lamentou anteriormente. Hoje, a defesa do vereador informou que acompanha o caso e vai trabalhar para manter o mandato.

Política

Destaque

Wilson Dias/Agência Brasil Marun afirmou que há espaço para contribuições ao projeto, mas governo descarta palpites Após o novo texto da reforma da Previdência ser apresentado, na quarta-feira (7), o ministro da Secretaria de Governo,...

Leia mais...

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Reprodução) Pesquisa do Instituto Datafolha divulgada nesta quinta-feira (1º) pelo jornal "Folha de S.Paulo" aponta que 53% dos entrevistados consideram que o ex-presidente Luiz Inácio Lula...

Leia mais...

Ex-presidente Lula (Foto: Reuters) O PT aproveitou a pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira para reforçar sua tese segundo a qual a retirada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da disputa eleitoral pelo Palácio do Planalto "cassa"...

Leia mais...

Tríplex deve ir a leilão público (Foto: Andre Penner/AP) O juiz Sérgio Moro ordenou a venda em leilão público do triplex em Guarujá, no litoral paulista, atribuído pelo Ministério Público Federal (MPF) ao ex-presidente Luiz Inácio Lula...

Leia mais...

Nas eleições de outubro, Mato Grosso do Sul vai escolher dois nomes para ocupar as cadeiras do Senado Federal. O pleito já tem dez pré-candidatos do Estado. Além de Pedro Chaves (PSC) e Waldemir Moka (MDB), que estão no cargo e querem a reeleição, também...

Leia mais...

JORNAL FEITOMS

Banner
Banner

Login Form